Pela Graça Sois Salvos. Efésios 2.1-10

Sermon  •  Submitted   •  Presented
0 ratings
· 39 views
Notes
Transcript
A Declaração de Cambridge e os oito trabalhos de apoio são os produtos da reunião histórica de 120 pastores, docentes e líderes evangélicos de organizações paraeclesiásticas realizada em Cambridge, Massachusetts, de 17 a 20 de abril de 1996. Acreditando que o movimento evangélico está em crise, essas pessoas se reuniram com a finalidade de convocar a igreja da América a se arrepender de seu mundanismo e buscar recuperar as doutrinas bíblicas apostólicas, porque só elas capacitam a igreja e proporcionam integridade para o seu testemunho. A reunião foi convocada pela Aliança de Evangélicos Confessionais.
Nesses quatro dias de reunião foram apresentados trabalhos sobre quatro assunto, Nossa Cultura Moribunda, de David F. Well e Ervin S. Duggan, As verdades da Palavra de Deus, de R. Albert Mother e Gene Edward Vieth, Arrependimento, Recuperação e Confissão, de Michael S. Horton e Sinclair B. Fergustson e A Reforma da Igreja na Doutrina, Culto e Vida, de W. Robert Godfrey e James M. Boice.
A Declaração de Cambrige, deriva desses trabalhos, foi preparada em sua forma preliminar por um comitê de redação relação da aliança, subseqüentemente trabalhada na conferencia com base nas sugestões e criticas que surgiram quando da discussão dos temas apresentados do trabalhos, e então assinada formalmente por quase todos os presentes à reunião de encerramento.
Um dos temas tratados dentro dos cincos solas está Sola Gratia, qual passo a transcrever na integra o que fora declarado.
SOLA GRATIA: A Erosão do Evangelho
A Confiança desmerecida na capacidade humana é um produto da natureza humana decaída. Esta falsa confiança enche hoje o mundo evangélico, desde o evangelho da auto-estima até o evangelho da saúde e da prosperidade, desde aqueles que já transformaram o evangelho num produto vendável e os pecadores em consumidores e aqueles que tratam a fé cristã como verdadeira simplesmente porque funciona. Isso faz calar a doutrina da justificação, a despeito dos compromissos oficiais de nossas igrejas.
A graça de Deus em Cristo não só é necessária como é a única causa eficaz da salvação. Confessamos que os seres humanos nascem espiritualmente mortos e nem mesmo são capazes de cooperar com a graça regeneradora.
Reafirmamos que na salvação somos resgatados da ira de Deus unicamente pela sua graça. A obra sobrenatural do Espírito Santo é que nos leva a Cristo, soltando-nos de nossa servidão ao pecado e erguendo-nos da morte espiritual à vida espiritual.
Negamos que a salvação seja em qualquer sentido obra humana. Os métodos, técnicas ou estratégias humanas por si só não podem realizar essa transformação. A fé não é produzida pela nossa natureza não-regenerada.
Não existe os dez passos para a salvação, para a regeneração, não existe uma formula que você acessa e muda totalmente sua vida, recebendo o direito a salvação por concluir tarefas.
A natureza caída do homem, leva-o para uma grande porta, qual conduz ao prazer de não olhar para sua natureza decaída, para vislumbrar os deleites do prazer de olha-se como o semideus das decisões. Levando a cada dia a achar que merece a salvação, por ser bondoso, por ajudar alguém. Isso não passa de uma escuridão aos olhos, pois se esquece que a Graça salva o homem, ou seja, não merecemos, não é meritocracia, mas é a Graça derrama, que vem do trono do Senhor.
A graça muda, diminui o homem e coloca Cristo Jesus no centro, diminui o homem, e educa-nos, diminui o homem conduz ao entendimento que nos foi concedida não por merecimento, mas por Graça, benevolência. O que é imerecido, passa a ser merecido por causa da obra do Senhor, da graça que nos foi concedida. Neste sentido os "não-eleitos, nunca se chegam a Cristo e, portanto, não podem ser salvos, muito menos poderão ser salvos por qualquer outro meio os que não professam a religião cristã, a Cristo Jesus, como seu Senhor e Salvador, por mais diligentes que sejam em conformar sua vida de acordo com a luz da natureza e com a lei da religião que professam, asseverar e manter que o podem é muito pernicioso e detestável.”
“Como podemos explicar a salvação de nossas almas senão em termos do beneplácito de Deus e pela sua livre dádiva da misericórdia?"
"Se pensarmos que somos melhores que outros que foram ignorados ou abandonados, nós simplesmente menosprezamos a bondade incondicional de Deus pela qual obtemos a salvação. E isso nós fazemos todas as vezes em que procuramos ganhar importância ou estima diante dos homens. Toda boca deve estar necessariamente calada. Nós devemos aprender que Deus nos escolheu, não porque Ele viu algo de bom em nós, ou nos considerou mais adequados do que aqueles que ele rejeitou, mas simplesmente para poder revelar o pleno esplendor de sua generosidade”, conforme Calvino, esse registro, encontra-se nos Sermões sobre as bem-aventuranças.
A Graça nos salvou, nos tirou da escuridão e colocou-nos na luz. A Graça nos salvou da ira de Deus, de ser entregues a perdição eterna.
Toda a obra realizada não partiu do homem mas sim do Senhor, veio lá do alto, tudo que Deus faz é para sua própria glória, nada o Senhor fez para a glória do Homem. O hino 067 com o título Coração Quebrantado, na sua última estrofe está escrito “Lá do alto céu o avivamento vem”. Toda a ação vem de Deus, então depois o homem responde. Em gratidão a Deus o homem obedece, por gratidão e não obrigação. Obedecer não é um peso, mas sim uma gratidão ao Senhor, pelo o que Ele fez por nós, em nós e através de nós.
A Graça não coloca em nós regras, como não posso fazer, isso, não posso fazer aquilo, não posso bater palma, não posso, não posso. A graça imprime no homem a mudança de ser, no trato com a esposa, com o marido, com os filhos, uns com os outros, a graça é testemunhado nas atitudes que nos levam a demonstrar que em Jesus Cristo somos salvos. As atitudes no dia a dia, são maiores que as palavra proferidas e não vividas, a graça muda nosso ser.
A salvação exprime a bondade para conosco, por intermédio de Cristo Jesus e para transformar o homem em testemunha de Cristo Jesus.
Neste sentido nosso tema será Pela Graça sois salvos.

Pela Graça Sois Salvos:

1. Em Bondade para conosco - vs. 1-4

Efésios 2.1–4 NAA
1 Ele lhes deu vida, quando vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, 2 nos quais vocês andaram noutro tempo, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência. 3 Entre eles também nós todos andamos no passado, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais. 4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou,
Paulo inicia este capítulo enfatizando que “Ele vos deu vida”, a condição do homem é deplorável, antes de Cristo o homem está morto, não tem vida, desejo, é escravo do pecado. O verbo deu, está no pretérito perfeito do indicativo, que significa que um passado concluído. Cristo Jesus já concedeu, concluiu, confirmou, está certo, decretado, finalizado. O verbo Estavam, está no pretérito imperfeito do indicativo, isso significa uma ação anterior ao momento da fala e que, no tempo passado a que pertence, não foi finalizada, podendo ter sido, por exemplo, interrompida por outro acontecimento. Neste sentido o estado espiritual do homem sem Cristo, é morto, mas com Cristo é vivo. Em Jesus Cristo tudo se completa. A humanidade sem Cristo, suas vontades, desejos, moral, ética, está pautada em nada, não tem referencia. Observe as escrituras quando nos mostra a condição do homem sem Cristo. Ela é vergonhosa, desesperadora, sem perspectiva. O homem sem Cristo, coloca-se acima de Deus, querendo ser Deus. Lembra do anjo de luz, o mais belos de todos os anjos, quer estar acima de Deus, ele traz para junto dele uma legião de anjos, dos quais todos foram expulsos após fazer parte de uma rebelião contra O Deus, o Senhor dos Senhores. Adão e Eva são colocados em um jardim, localizado no Édem, apenas eles tinham a condição de escolher pecar ou não. Essa condição deixou claro que o ato de escolher pecar ou não, o homem não sabe lidar com isso. Eles desobedeceram a Deus, toda a terra sofreu quando o Senhor expulsa o homem do jardim, por transgredir uma ordem de Deus. Não comerás do fruto que está no meio do jardim.
Após a queda, Adão e Eva são expulsos do jardim localizado no Édem e tem filhos e filhas, agora começa a aparecer a condição deplorável do homem desde o início. Caim por inveja mata Abel, Deus institui o casamento monogâmico desde o início, o homem procura a bigamia, o desejo em buscar a deuses leva-nos a distanciarmos do Deus verdadeiro e único, o orgulho, a inveja e desejo de idolatrar-se como deuses, essa é condição do homem sem Cristo, deplorável. Deus olha para a humanidade e não vê nada de bom. No dilúvio a bíblia relata que Deus se entristeceu com a sua criação. Por esse motivo o Senhor enviou o diluvio, porém, o Senhor achou graça apenas em Noé e sua família, quais Ele poupou. Sem Cristo andávamos segundo o curso deste mundo.
Paulo relembra aos cristãos de Éfeso que eles já estiveram na condição de mortos, ele usa a palavra outrora, eles andaram segundo o mau caminho deste mundo. Antes do Senhor nos resgatar, andávamos segundo os prazeres deste mundo e não aos do Pai.
Todos os que estavam sobre o domínio da serpente, debaixo da ira de Deus, que será severa no dia do julgamento, viviam pela natureza humana, natureza caída, pois as vontades do corpo e da mente eram a corrida pela auto satisfação sem preencher o vazio, uma busca infindável e sem sentido.
Na teologia temos um termo para explicar essa condição, A Total Depravação, esse ensinamento bíblico é uma verdade que contrasta com a visão que a grande maioria tem do ser humano. A visão influenciada pela ideia (Pelagiana) de que o homem precisa de uma receita apenas, pois o problema dele é temporário ou remediável vem nos forçar a ir contra as Escrituras. Uma enfermidade moral resultando uma parcialidade corrompida, isto é, podendo ainda ser responsável pelas suas escolhas e decisões. Na visão bíblica essa afirmação está equivocada, esse pensamento é uma heresia. Essa expressão ‘pecado original’ não significa que o pecado faça parte da natureza humana como tal, pois ‘Deus fez o homem reto’ Eclesiastes 7.29. O ‘pecado original’ significa que a pecaminosidade qual marca a cada um desde o nascimento, na forma de um coração inclinado para o pecado. Essa pecaminosidade íntima é a raiz e a fonte desses pecados atuais. Ela nos foi transmitida por Adão, nosso primeiro representante diante de Deus. A doutrina de pecado original nos diz que nós não somos pecadores porque pecamos, mas pecamos porque somos pecadores, nascidos com uma natureza escravizada pelo pecado.
A Igreja Presbiteriana do Brasil adotou a confissão Confissão de Fé de Westminster, por ser uma confissão bíblica, e nela encontramos a seguinte afirmação: “O homem, por sua queda em um estado de pecado, perdeu completamente toda a capacidade de desejar qualquer bem espiritual que acompanhe a salvação; portanto como homem natural inteiramente contrário ao bem e morto em pecado, ele não é capaz, por sua própria força, de converter-se ou mesmo preparar- se para isso”. “Quando Deus converte um pecador e o transfere para o estado de graça, Ele o liberta de sua natural escravidão ao pecado, e somente por Sua graça, Ele permite que ele livremente deseje e faça o que é espiritualmente bom [...]”. Também, encontramos no Catecismo de Heidelberg a seguinte pergunta com a resposta:
“Somos então tão corruptos ao ponto de sermos totalmente incapazes de fazer qualquer bem que seja, e inclinados para todas as perversidades?"
Resposta: "Certamente nós somos, exceto se formos regenerados pelo Espírito de Deus”. Na Confissão Belga há uma declaração: “Tornando- se ímpio, perverso e corrupto em todas as suas práticas, ele perdeu todos os dons excelentes, que tinha recebido de Deus. Nada lhe sobrou destes dons, senão pequenos traços, que são suficientes para deixar o homem sem desculpa.” As confissões não estão acima da bíblia, a escritura é para ela que temos que voltar, mas as confissões propões temas que estão respondidas na bíblia. A Escritura Sagrada é inerrante e suficiente, qual é a voz de Deus, nos traz a triste condição do homem. Em Tito 3.3-5 Porque também nós éramos outrora insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias paixões e deleites, vivendo em malícia e inveja odiosos e odiando-nos uns aos outros. Mas quando apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador e o seu amor para com os homens, não em virtude de obras de justiça que nós houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou mediante o lavar da regeneração e renovação pelo Espírito Santo.” Observe a bondade de Deus para com o homem, nos mostra três importantes afirmações:
Primeiro: Todos os homens, exceto Cristo, são depravados e transgressores. Segundo: Seus atos, emoções, vontades, corações, pensamentos são comprometidos pela sua condição diante de Deus. Terceiro: Não há uma parcialidade, cada parte do homem é totalmente depravada e não há nenhum bem em parte alguma.
A graça salva-nos, da ira de Deus, imprimindo em nossos corações o desejo de parecer-se com Cristo, tendo nosso completo ser mudado de glória em glória, neste sentido fora da graça não há Salvação, a Boa Nova de Jesus Cristo é anunciado como caminho sobre o qual a Graça de Deus liberta e conduz à salvação. Essa é a bondade de Deus para com cada um dos seus escolhidos.

Pela Graça Sois Salvos:

1. Em Bondade para conosco - vs. 1-4

2. Por Intermédio de Cristo Jesus - vs. 5-7

Efésios 2.5–7 NAA
5 e estando nós mortos em nossas transgressões, nos deu vida juntamente com Cristo — pela graça vocês são salvos — 6 e juntamente com ele nos ressuscitou e com ele nos fez assentar nas regiões celestiais em Cristo Jesus. 7 Deus fez isso para mostrar nos tempos vindouros a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus.
O Senhor não vê nada de bom em nós, porém, Deus amou o mundo de tal maneira que a única forma de restaurar nossa comunhão com o Ele, deveria ser de forma perfeita, da qual nenhum homem seria capaz. O homem por si não é capaz de buscar ao Senhor, precisamos de um mediador, neste sentido temos Cristo e entendemos a necessidade da Cruz, revelação da Sua Graça, que impossibilita o homem a fazer qualquer coisa para concertar sua real situação para com o Senhor e Rei de todas as coisas.
Deus é bondoso para conosco, Ele não precisa de nós, o Senhor olha para essa condição aqui exposto e percebe que não há nada em nós que o agrade, mas por sua bondado, O Senhor nos envia Cristo Seu filho amado para morrer na cruz, derramar seu sangue e nos conceder o perdão.
Estando nós mortos em nossos delitos, Deus nos concede vida juntamente com Cristo, pela graça sois salvos. Cristo o Rei, o próprio Deus, o verbo que se fez carne. Era necesário um sacrifício perfeito, Cristo sofreu toda sorte de tentação, teve cansaço, sentiu frio, teve dores. Foi humilhado, condenado, sem merecer tal condenação. Mas em tudo Ele suportou, pelo o que Cristo fez, podemos ser chamados de filhos, pois por seu intermédio chegamos ao Pai. Cristo nos disse, quer conhecer ao Pai, conheça a mim, ninguém vem ao pai se não através de mim.
Por natureza, Deus é amor. Mas o amor de Deus na relação com os pecadores transforma-se em graça e misericórdia. Deus é rico em misericórdia e em graça, e essas riquezas tornam possível a salvação do pecador. Somos salvos pela misericórdia e pela graça de Deus. Tanto a misericórdia como a graça vêm a nós por meio do sacrifício de Jesus Cristo na cruz. Foi no Calvário que Deus demonstrou seu repúdio ao pecado e seu amor pelos pecadores.
Paulo não só fala sobre a nossa salvação, mas fala também sobre a motivação de Deus em nos salvar, a saber, o amor, a misericórdia, a graça e a bondade. Cristo Jesus desceu aos mortos, e ressuscitou, Deus demonstrou a suprema grandeza de seu poder, e ele, ao nos salvar, demonstrou a suprema riqueza de sua graça, com Cristo somos ressuscitado, com Cristo assentaremos nas regiões celestiais.
Cristo guia-nos e em tudo confiamos em Cristo, Ele e somente Ele, pode levar-nos a lugares onde jamais chegaríamos. A graça restaura o homem na presença de Deus, leva-nos a presença do Pai.
Deus nos ressuscitou, estando nós ainda mortos em nossos pecados, deu-nos vida juntamente com Cristo por isso pela graça sois salvos. Deus tirou-nos da sepultura espiritual em que o pecado nos havia posto. Deus realizou uma poderosa ressurreição espiritual em nós por meio do poder do Espírito Santo. Quando cremos em Cristo, passamos da morte para a vida (Jo 5.24). Recebemos vida nova: a vida de Deus em nós.
Ele nos ressuscitou juntamente com Ele, e com Ele nos fez assentar nas regiões celestiais em Cristo Jesus. A centralidade de nossa adoração está em Cristo, aqui estamos para o glorificar, o Louvar, o Exaltar. Meu amado entenda que sem Cristo não existe nada, o homem está perdido, condenado, sem esperança. A morte e ressurreição de Cristo nos deu vida e vida em abundância. Recebemos a graça por intermédio de Cristo Jesus.

Pela Graça Sois Salvos:

1. Em Bondade para conosco - vs. 1-4

2. Por Intermédio de Cristo Jesus - vs. 5-6

3. Para ser testemunhas de Cristo Jesus - vs. 8-10

Efésios 2.8–10 NAA
8 Porque pela graça vocês são salvos, mediante a fé; e isto não vem de vocês, é dom de Deus; 9 não de obras, para que ninguém se glorie. 10 Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.
A salvação é um presente, não uma recompensa, fomos salvos somente pela graça de Deus por meio da confiança em Cristo, Paulo acrescentou duas negações que ninguém se orgulhe. Essas negações trazem grande equilíbrio ao homem, a primeira está na segunda parte do versículo oitavo, “E isto não vem de vós, é dom de Deus” ; e a segunda, “Não vem das obras, para que ninguém se glorie” .
A salvação não pode ser pelas obras, porque a obra da salvação já foi plenamente realizada por Cristo na cruz. Se a salvação fosse por obras, seria anulado o sacrifício de Cristo, de nada adiantaria o que Cristo fez. Não podemos acrescentar mais nada à obra completa de Cristo. Agora não existe mais necessidade de sacrifícios e rituais, essas coisas estão mortas. Fomos reconciliados com Deus, para sermos testemunhas do Senhor aqui na terra. O véu do templo foi rasgado. Pela graça, somos salvos. Tanto a fé como a salvação são dádivas de Deus.
Quando testemunhamos a Cristo, seguimos os seus passos, não recebemos glórias, mas Cristo sim, por isso que cada vez mais nós precisamos diminuir para que Cristo cresça, e nesse sentido que entendemos que toda glória é dada ao Senhor, a Cristo Jesus. O que o apóstolo Paulo está afirmando, é que nos gloriamos em nossas fraquezas, pois tudo o que conquistamos não somos nós, mas Cristo em nós. Neemias quando recebeu autorização do rei não se gloriou, mas gloriou-se no Senhor, a boa mão do meu Deus, até aqui nos ajudou.
Jesus foi levado até Pilatos para ser julgado, quando Ele está a frente de Pilatos o Senhor fala; “Para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade.” (João 18.33-37.) Assim como Jesus, que é “a testemunha fiel e verdadeira”, nós somos chamados para ser testemunhas em Cristo Jesus. O evangelho é pregado, para anunciar que o Rei está voltando, Ele está chamando os seus, aleluia Ele vem nos buscar. Somos salvos pela graça em Cristo Jesus. O Senhor declarou, conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. Jesus entrou na Galileia, pregando as boas novas de Deus e dizendo: “Tem-se cumprido o tempo designado e o reino de Deus se tem aproximado. Arrependei-vos e tende fé nas boas novas.” (Marcos 1.14, 15).
Fomos chamados para testemunhar a Cristo, levar as boas novas a todos, para que todos conheçam ao Senhor, assim aqueles dos quais o Senhor escolher através do testemunho de Cristo, das boas novas, esses seram resgatados, alcançados, por ouvir o testemunho de que fomos alcançados por Cristo, para a Glória de Cristo.
Todas as obras se cumprem no Senhor, fomos chamados para executar as boas obras já cumpridas em Cristo. Para entendermos melhor vamos usar Lucas 24.44-48, Jesus apareceu foi para seus apóstolos e outros que estavam reunidos. Nessa ocasião, Jesus os ajudou a entender que sua morte e ressurreição estavam preditas nas Escrituras. No final daquela reunião, Jesus falou a seus discípulos sobre a responsabilidade que eles teriam. Ele disse para pregar o arrependimento para o perdão de pecados, em todas as nações, principiando por Jerusalém, Jesus acrescentou: “Haveis de ser testemunhas destas coisas.” A salvação é pela graça, mas também “por meio da fé”. É a graça que nos salva pela instrumentalidade da fé. É bem conhecida a expressão usada por Calvino: “A fé traz a Deus uma pessoa vazia para que se possa encher das bênçãos de Cristo”. É muito importante ressaltar que Paulo não está falando de qualquer tipo de fé. A questão não é a fé, mas o objeto da fé. Não é fé na fé. Não é fé nos ídolos. Não é fé nos ancestrais. Não é fé na confissão positiva. Não é fé nos méritos. É fé em Cristo, o nosso Senhor e Salvador!
Nós devemos testemunhar a Cristo, levando sua palavra, testemunhando ao Senhor Jesus e salvador.

Conclusão

Pela Graça Sois Salvos:

1. Em Bondade para conosco - vs. 1-4

2. Por Intermédio de Cristo Jesus - vs. 5-6

3. Para ser testemunhas de Cristo Jesus - vs. 7

Nossa Salvação nos foi outorgada por intermédio de Cristo Jesus. O cordeiro perfeito, sem macula ele não cometeu transgreções, o verbo se fez carne, andou entre nós e não errou. Cristo tudo fez, para nos dar vida. No nono versículo o apóstolo Paulo apresenta aos cristãos de Éfeso, que a salvação não veio por intermédio de obras, para que ninguém se glorie.
Não podemos chegar no céu e dizer para Deus, viu o que eu fiz, eu mereço estar aqui, levei tantas almas para o céu, não isso não é possível. A salvação vem por intermédio de Cristo Jesus.
Nossa salvação nos foi outorgada para sermos testemunhas dEle, Cristo Jesus, pois somos feitura dEle, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas. Foi Deus que nos fez o que agora somos, em nossa união com Cristo Jesus. Fomos criados para realizar as boas obras que Ele já havia preparado para nós.
Somos testemunhas de Cristo quando cumprimos nosso chamado, pois o Senhor tudo já fez por nós. Cristo trabalhou em nós, nos libertando da escravidão do pecado, ele trabalha por nós, pois a salvação não é resultado de nossos esforços e Ele trabalha através de nós, quando somos usados pelo Senhor para testemunharmos a Cristo Jesus.
Aplicação
Entendemos que fora da Graça não há Salvação, olhe para Cristo, sem Cristo estamos condenados, perdidos, jogados a eternidade sem o Senhor. Oremos ao Senhor para que entendamos que Somente a Graça, ou seja, Somente em Jesus Cristo encontraremos a verdadeira salva. A graça somente nos basta.
Sabemos que Jesus Cristo é a encarnação da Graça, somente por Cristo, para Cristo, em Cristo. Pela Graças sois salvos, em Jesus Cristo.
O que devemos fazer agora, pela Graça a Igreja se Reforma, o conteúdo da carta aos efésios projeta, como num espelho, a ideia que toda Bíblia tem sobre a Graça divina. Paulo destina a esta igreja, como se referisse à humanidade uma nova mensagem, a verdade sobre a Graça deve ser interpretada segundo a necessidade de viver como Jesus viveu. A igreja é o corpo de Cristo, é o próprio Cristo Jesus. Vivamos essa graça conforme a vontade de Deus, em Cristo Jesus.
Sejamos a imagem da Trindade, que a benevolência, a alegria sejam expressões desta graça divina através da Igreja, de nós, como servos do Senhor. Adoremos ao Senhor com o sentimento de gratidão, pois somente Jesus Cristo é nosso Senhor.
Related Media
See more
Related Sermons
See more