O TESTEMUNHO DO FILHO DE DEUS

Sermon  •  Submitted   •  Presented
0 ratings
· 16 views
Notes
Transcript
João 5.31-47.
V.31: 31 Se eu testifico a respeito de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro.
O que Jesus estaria dizendo aqui? Muitos pensam que Jesus está dizendo que ele seria um mentiroso se testificasse dele mesmo. Porém, Jesus simplesmente quer dizer: “Se eu testifico a respeito de mim mesmo, meu testemunho não é verdadeiro na opinião de vocês”.
Em outras palavras: “Vocês imediatamente dirão: ‘Você está testificando sobre você mesmo; por isso, seu testemunho não é verdadeiro’ ”. Como de fato aconteceu em João 8.12–13, onde registra que Jesus testifica a respeito de si mesmo, dizendo: “Eu sou a luz do mundo”. E logo depois os fariseus disseram: “Você está testemunhando sobre si mesmo; seu testemunho não é verdadeiro”.
Testemunho do Pai (v.31-32; 37-38)
31-Se eu testifico a respeito de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro. 32- Outro é o que testifica a meu respeito, e sei que é verdadeiro o testemunho que ele dá de mim.
37- O Pai, que me enviou, esse mesmo é que tem dado testemunho de mim. Jamais tendes ouvido a sua voz, nem visto a sua forma. 38- Também não tendes a sua palavra permanente em vós, porque não credes naquele a quem ele enviou.
Jesus tem o testemunho do Pai que o enviou, ele foi enviado pelo Pai, e veio fazer a vontade do Pai, e o Pai e Ele são um só, e por isso, o Pai testifica, testemunha d’Ele. Com isso, Jesus mostra que não é um impostor, mas o Filho de Deus verdadeiro e legítimo, enviado por Deus para realizar as obras de Deus. Auto-testemunho não é testemunho. Ninguém pode autenticar sua própria assinatura, mas, precisa ir ao cartório e algum outro o reconhece, e não ele próprio. Se as afirmações de Jesus fossem feitas sem a autoridade do Pai, seus ouvintes não teriam nenhuma obrigação de aceitá-las.
Os judeus nunca virão o Pai, mas, estes ouviram o Pai dizer: este é o meu Filho amado em quem eu tenho prazer. Eles porém, rejeitaram ao Filho de Deus, e recusaram o seu testemunho, na transfiguração do mesmo modo o Pai testificou a respeito do seu Filho amado.
Esses homens porém, jamais ouviram ou viram a forma de Deus, embora, em todo o Antigo Testamento podemos encontrar a revelação de Deus ao seu povo, por meio de formas visíveis, em anjos e em sarça ardendo em fogo, e etc, e falando audivelmente também como fez em várias ocasiões a Moisés, aos israelistas no Êxodo e aos Profetas. Os judeus tinha as Escrituras do AT em mãos, mas, não tinham a Palavra no coração.
Porém, esses judeus incrédulos dos dias de Jesus, tinham ambos em Cristo, a forma de Deus e a voz de Deus. Pois, Jesus Cristo é a forma do próprio Deus que se fez carne e habitou entre nós, e Jesus Cristo é também a voz de Deus que esteve com eles, falava a eles, e eles não creram em Jesus como o Filho de Deus, o Salvador enviado para nos salvar. Se recusaram a ouvir a revelação final de Deus a humanidade, eles não estavam vendo que nos últimos dias Deus estava falando a eles pelo seu Filho.
Testemunho de João Batista (v.33-35)
33- Mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade. 34- Eu, porém, não aceito humano testemunho; digo-vos, entretanto, estas coisas para que sejais salvos. 35- Ele era a lâmpada que ardia e alumiava, e vós quisestes, por algum tempo, alegrar-vos com a sua luz.
João Batista foi chamado por Deus Pai para preparar o caminho para o Deus Filho. Neste mesmo evangelho temos o registro do testemunho de João acerca de Jesus Cristo quando vieram até ele perguntar se ele era o Cristo, e ele disse:
Eu não sou o Cristo, mas, eu sou a voz que clama no deserto, e eu vos batizo com água, mas, no meio de vocês está quem não conheceis, o qual vem após mim, do qual não sou digno de desatar-lhe as correias das sandálias. Esse que vem após mim vos batizará com o Espírito Santo.
Em outra ocasião, Jesus vinha aproximando-se de João e seus discípulos, e então João disse:
Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado o mundo.
Jesus está dizendo, vocês mandaram mensageiros a João e o que ele testificou de mim é verdade. Eu sou o Filho de Deus.
Mas, o que os judeus fizeram? rejeitaram o testemunho de João.
E Jesus diz: Eu, porém, não aceito humano testemunho; digo-vos, entretanto, estas coisas para que sejais salvos.
Jesus mostra que não precisava do testemunho de João, por isso não apelou para o testemunho humano, contudo, confirma que o testemunho de João era verdadeiro. E que Jesus citou o testemunho dele omo verdadeiro para que aqueles judeus pudessem ser salvos se cressem.
João foi uma lâmpada/candeia que alumiava
35- Ele era a lâmpada que ardia e alumiava, e vós quisestes, por algum tempo, alegrar-vos com a sua luz.
Jesus alerta aquelas pessoas, que João foi apenas uma lâmpada e que por um tempo alumiava, mas, agora, eles tinham ali, a prória luz do mundo. Como está escrito a respeito de João:
v
A vida estava nele e a vida era a luz dos homens. 5 A luz resplandece nas trevas, e as trevas não prevaleceram contra ela.
João 1.6-12: 6- Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João. 7 Este veio como testemunha para que testificasse a respeito da luz, a fim de todos virem a crer por intermédio dele. 8 Ele não era a luz, mas veio para que testificasse da luz, 9 a saber, a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem. 10 O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu. 11 Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. 12 Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome.
João é uma candeia que precisava ser alimentado por uma fonte de Luz, e essa fonte é Jesus. E João a esse momento, era provável que estava a beira da morte, ou mesmo pode ser que estivesse morto a esse tempo. As lâmpadas vem e vão, elas tem um fim, somente Jesus, a verdadeira fonte de luz permanece para sempre.
Os judeus, por algum tempo quiseram se alegrar com João.
João Batista atraiu muitas pessoas, multidões, porém, mesmo assim, eles queriam João apenas como um pregador religioso, e não aceitaram o testemunho de João acerca de Jesus Cristo. Ou seja, eles foram superficialmente atraídos a João Batista, e até mesmo atraídos a seguir Jesus, porém, o que faltava era arrependimento verdadeiro.
Testemunho das Obras (v.36)
36- Mas eu tenho maior testemunho do que o de João; porque as obras que o Pai me confiou para que eu as realizasse, essas que eu faço testemunham a meu respeito de que o Pai me enviou.
Os milagres operados por Jesus são um testemunho de que Ele é o Filho de Deus, e isso é um testemunho ainda maior do que o testemunho de João.
Os milagres de Jesus Cristo são provas incontestáveis de que Ele é Deus.
Nicodemus disse a Jesus:
João 3.2: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.
Ninguém realizou tamanhos prodígios! Essas obras realizadas por Jesus provaram que ele, de fato, é o Filho de Deus. As obras confiadas a Jesus para que as realizasse são seus milagres, incluindo a cura do homem no tanque, o milagre da água sendo transformada em vinho e do filho do oficial que foi curado há uma distância de 30km aproximadamente. Sem dúvida, essas obras não produzem fé nas pessoas. Pois, nenhum milagre é tão importantes quanto as palavras do nosso Senhor.
Entretanto, não podemos ignorar essas obras. Mas, elas devem fortalecer a fé que já existe no nosso coração, e servir de testemunho sobre Cristo. Pois, é nestes milagres que nós podemos notar que Jesus está confirmando para as pessoas de forma visível que Ele e o Filho de Deus.
Comentário Bíblico Popular: Novo Testamento D. Quatro Testemunhas de Jesus Como Filho de Deus (5:30–47)

Milagres por si só não são provas da divindade. Na Bíblia lemos de homens que receberam poder para realizar milagres, e até lemos de seres malignos com o poder de executar maravilhas sobrenaturais. Mas os milagres do Senhor Jesus eram diferentes de todos os outros. Em primeiro lugar, ele tinha o poder em si mesmo para executar as obras poderosas, ao passo que os outros receberam o poder. Outros homens realizaram milagres, mas eles não podiam outorgar a outras pessoas o poder de realizá-los. O Senhor Jesus não apenas realizou os milagres como também concedeu aos seus apóstolos a autoridade para fazerem a mesma coisa. Além disso, as obras realizadas pelo Salvador eram as mesmas que foram profetizadas no AT a respeito do Messias. Por último, os milagres que o Senhor Jesus efetuou eram incomparáveis no seu caráter, âmbito e número.

Jesus apresenta pois, o testemunho de suas obras. Já o tinha feito quando João tinha mandado perguntar da prisão se Ele era o Messias ou se devia buscá-lo em outra parte. Falou aos mensageiros de João que voltassem e relatassem a seu mestre as coisas que viram (Mateus 11:4; Lucas 7.22). Mas Jesus apelou ao testemunho de suas obras não para apontar para si mesmo, e sim para o poder de Deus que estava operando nele e através dele. Cita suas obras, não para glorificar-se a si mesmo, mas para glorificar a Deus, a quem pertencem tais obras. Assim, pois, Jesus passa a cita que as suas obras feitas foram confiadas pelo Pai a Ele para que Ele realizasse e elas testemunham que Ele foi o seu enviado.
Testemunho das Escrituras (v.39-47)
39-Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim. 40 Contudo, não quereis vir a mim para terdes vida. 41 Eu não aceito glória que vem dos homens; 42 sei, entretanto, que não tendes em vós o amor de Deus. 43 Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis; se outro vier em seu próprio nome, certamente, o recebereis. 44 Como podeis crer, vós os que aceitais glória uns dos outros e, contudo, não procurais a glória que vem do Deus único? 45 Não penseis que eu vos acusarei perante o Pai; quem vos acusa é Moisés, em quem tendes firmado a vossa confiança. 46 Porque, se, de fato, crêsseis em Moisés, também creríeis em mim; porquanto ele escreveu a meu respeito. 47 Se, porém, não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?
Os judeus tinham acesso as escrituras, e sabiam que as escrituras falavam acerca do Messias, e eles entendiam que nela, nas escrituras, eles encontrariam a vida eterna. Jesus está alertando e exortando os judeus dizendo: embora vocês tenham os livros de Moisés e coloquem esperança nesses livros, porém, eles não tem valia alguma. Pois, eles não entenderam que as escrituras apontam para Jesus, aquele Deus homem que estava na frente deles.
Pois, vocês dizem crer na Escritura, porém, estão me rejeitando, e ao ponto de pensarem que sou menor que Moisés. Jesus diz que eles não querem vir até Ele para terem vida.
O ser humano está cego e morto em seus delitos e pecados, e por natureza não tem disposição nenhum de ir até Cristo com fé. Deus os deixou entregues a sua própria dureza do coração e cegueira dos olhos.
Sem a iluminação do Espírito Santo, todos nós estamos perdidos, pois, somente o Espírito de Deus pode nos dá visão para enxergar e vida para podermos caminhar a Cristo com fé verdadeira.
John Stott diz que o Jesus autêntico deve ser encontrado na Bíblia – o livro que pode ser descrito como o retrato que o Pai fez do Filho, colorido pelo Espírito Santo. Portanto, a ignorância das Escrituras é ignorância de Cristo.
V.41-42: 41- Eu não aceito glória que vem dos homens, 42- sei entretanto que não tendes em vós o amor de Deus.
Qual foi o motivo do embate entre Jesus e os judeus? A resposta deles a esta pergunta provavelmente teria sido: “Ele está irritado porque o criticamos por violar o sábado e por sugerir que é igual a Deus. Se o tivéssemos elogiado pelo que fez ao homem no tanque, ele teria ficado satisfeito”.
Jesus, que os conhecia profundamente e era capaz de ler os seus corações, responde dizendo: Glória dos homens eu não aceito. Ele não a busca, e nem está disposto a considerar válido o louvor de incrédulos.
Jesus, então, dá sua própria resposta à pergunta sobre o motivo dessa controvérsia com os judeus. O motivo real não é o seu desejo de louvor, mas sim a falta de amor deles para com Deus. Se o amor estivesse no coração deles, eles teriam crido no testemunho da Escritura a respeito do Filho de Deus.
Jesus está mostrando aos judeus que as Escrituras que eles julgavam ter autoridade máxima davam testemunho a seu respeito. As mesmas Escrituras que os judeus julgavam conter a vida eterna apontavam para Jesus como o Filho de Deus. Jesus veio em nome do Pai, e os judeus o rejeitaram. Se outro tivesse vindo no próprio nome, teriam recebido. (v.43)
João 5.31–47

Esta profecia se cumpriu inúmeras vezes. Um falso Messias foi Teudas; outro, Judas, o galileu (At 5.36–37). Daí veio Bar Kokhba (132–135 d.C.), que foi chamado de A Estrela de Jacó (Nm 24.17) pelo distinto rabino Akiba. Houve grande número de outros desde aqueles dias. O último será o próprio anticristo (2 Ts 2.8–10). Todos eles se apresentam sem credenciais apropriadas: eles vêm “em seu próprio nome”. Todavia, as pessoas se entregam totalmente a eles, e eles desviam muitos do caminho correto.

A incredulidade dos judeus não é intelectual, mas moral. Eles procuravam a glória vinda dos homens (v.44), e não a glória que vem de Deus, por isso não podiam crer.
V.45-47: 45 Não penseis que eu vos acusarei perante o Pai; quem vos acusa é Moisés, em quem tendes firmado a vossa confiança. 46 Porque, se, de fato, crêsseis em Moisés, também creríeis em mim; porquanto ele escreveu a meu respeito. 47 Se, porém, não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?
O ponto final de Jesus é dado quando ele diz aos judeus que quem os acusará perante o Pai será o próprio Moisés, em quem eles supostamente firmavam sua confiança.
Moisés é o objeto constante da esperança deles. Eles sempre apelavam aos seus escritos; debatiam suas instruções e as analisavam minuciosamente. Agora Jesus lhes diz que esse Moisés será o acusador deles. O motivo é que, a despeito de toda a sua fala sobre serem seus seguidores, eles na realidade não criam nele: Pois se vocês cressem em Moisés, vocês creriam em mim, pois ele escreveu sobre mim. “Moisés escreveu sobre mim”, afirmou Jesus.
Logo, os judeus estavam rejeitando Jesus, porque não davam crédito ao testemunho de Moisés.
APLICAÇÕES:
Creia na Palavra que dá tempo
Você crer em Jesus de verdade? Muitos ainda hoje, não creem na Palavra pregada, não creem na Palavra encarnada, não creem na Palavra escrita. Você é um desses?
A falta de amor a Deus pode te levar a condenação
Muitos não tem amor, e por isso não podem amar a Deus. Para nós amarmos ao próximo como Deus nos diz, primeiro precisamos amar a Deus. E para amarmos a Deus, primeiro Ele nos amou, e por isso, Jesus morreu por nós, por conta do amor de Deus por nós.
Seja uma testemunha viva de Cristo
Você é a Bíblia que as pessoas vão ler.
Related Media
See more
Related Sermons
See more